terça-feira, 6 de maio de 2008

Amanhecerá.



Vou reler tudo, refazer caminhos e relembrar coisas. Vou viver de rastros e restos! O amanhecer tem se aproximado rapidamente, o céu já não está tão obscuro. As mesmas músicas, do mesmo sujeito, ainda continuam fazendo imensa diferença. A recordação do sorriso nutre a falta do mesmo.
Assim que o dia amanhecer, aquela estrada vai ser, novamente, percorrida e os rastros terão ficado para trás e as marcas serão apagadas por outras que passarão, sem dó, por cima daquelas que acalentam e fazem sangrar. De tanto serem usadas, perderão o valor e ficarão desbotadas. As cores não chamarão mais atenção e o sol vai resplandecer sobre o amarelo-quase-branco e a cor-de-saudade vai sumir, de vez! A madrugada será curta, já sinto os primeiros focos de laranja.

6 comentários:

Mai Amorim disse...

As palavras sempre complicam...

andy disse...

Huuum... Às vezes tu me dá medo... tudo o que eu sinto leio aqui!¬¬ Hahaha! q=
Palavras, palavras, palavras, muitos dos meus problemas são elas que causam... mas quem somos nós sem as palavras??

Cristiano disse...

eu gostaria que fabbriny lesse este texto. gostaria que a coragem dela de apostar no futuro fosse maior...
bjs e como sempre belo texto

Kika Macedo disse...

Lindo!!

É, tudo voltará a ser sentido, talvez com menos intensidade, talvez com mais intensidade, mas aqueles rastros sempre estarão presentes em algum lugar.

Me identifiquei bastante com esse trecho...

"Assim que o dia amanhecer, aquela estrada vai ser, novamente, percorrida e os rastros terão ficado para trás e as marcas serão apagadas por outras que passarão, sem dó, por cima daquelas que acalentam e fazem sangrar".

Parabéns!

Kika Macedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Thanks for this post, I am considering talking about the same in my blog.


kuplyu viagru,kupit' viagru