sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Sobre amor e aves.



D - Amar é tão bom, não acha?
C - É, mas nunca é suficiente, chega a ser ridícula essa eterna mania de procurar.
D - Exatamente. Ridícula.


(...)


D - Tá vendo ali?
C - O quê?
D - As aves.
C - Ah, sim. Lindas!
D - Às vezes eu tento achar uma forma de comparar o Amor às aves. Percebe a liberdade com que elas planam? Por que o Amor não é assim?
C - Porque É o Amor e sendo Amor, é assim complicado!
D - É... Será que você consegue, agora, criar algo falando dos dois? (peguei!)
C - (Pausa para o gole de SB) Enquanto o amor voa, as aves vivem em mim.




Silêncio...
D - Eu te odeio!


C - (Risos) Eu te ave!




Quem dera que todo amor planasse;
Quem dera que qualquer ave te trouxesse pra pertinho em um bater de asas.

8 comentários:

natalia disse...

Um diálogo às alturas.
Quase tocaram o céu com todas essas aves. Ou com todo o amor, tanto faz.
Ambos voam.

beijo Camila.

ps:viu como agora eu até comento?
:)

juliana disse...

É... quem dera que QUALQUER ave, enquanto AMOR, fosse o bastante. Que qualquer uma fosse capaz de elevar o espirito e te fazer esquecer todo o mundo!
O fato é que poucas aves o fazem, mas sempre há aquelas que deixam suas marcas, que dificilmente são apagadas, por serem a tradução do que é felicidade.

Muito lindo o post Camilona, parabéns!
;*

Juliana Castelo disse...

Prefiro acreditar que o amor é igual a liberdade dos pássaros... eles são livres, vão, mas sempre voltam para seu lugar de origem... Qualquer coisa que nos aprisiona pode ser tudo menos amor! Muito lindo esse seu diálogo! Grande abraço.

Calli.Strange; disse...

Lindo dialógo.Nunca tinha parado rpa pensar o quanto aves e amor se parecem.
tão livres...tão distantes as vezes e sempre no alto.

Lindo Lindo Milla! ;)

Mai Amorim disse...

Quem dera, quem dera, Mila...

Sem selos disse...

... EU TE AVE...

quem nos dera saber até aonde as aves podem voar.. pois não planarão para sempre...

Yuri da Costa disse...

Perfeito...
Simplesmente esse diálogo me pareceu muito bem articulado, e de conteúdo extraordinariamente verdadeiro, parabéns morena, não tenho nem palvras pra expressar o quanto eu apreciei seu texto, e concordo plenamente com o que diz, apesar de não ter reparado que amor e as aves sao iguais, mas as aves não me fazem sofrer tanto!!!

Nanda disse...

lindíssimo... diálogo quieto, de fim de tarde, cheiro de mar. exatamente! senti cheiro de ondinhas deitando na areia seca da praia..

..e "eu ave" foi tão Quintana ao dizer "eu passarinho"..

não resisti deixar de comentar.. gostei do que li em minha caminhada por entre os blogs.. achei uma trilha ótima de poesia..parabéns! voltarei mais vezes..

=)