quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O vestido.

Por onde andaria aquele vestido? Enfeitiçaria outros ventos, outros olhares?
Não, contaram-lhe que o vestido estava rasgado, largado em um canto em um armário qualquer.

- O que falta ao vestido?
- Tem um buraco onde antes havia um botão.

O vestido é o mesmo, continua bonito, mas não tem vida. A vida por dentro do vestido se perdeu também? E o botão, ainda pode ser costurado?
Ela não entendia porque não costuravam o tal vestido vermelho e porque a vida não o vestia de novo.
Nós éramos como ele? Fez sentido, virou passado largado no armário e sem botão.
Sentimentos rasgam? Por onde andam os nossos botões?

Eu tenho agulha e linha...

Podemos nos costurar?

Silêncio...

2 comentários:

camila chaves disse...

ei, por que tu não falas aquele negócio do pregador para esse vestido? tem vida ali.

(tentei lembrar para escrever, mas não consegui. só sei que era bastante bonito. rs)

tsc. tsc. tsc. um vestido vermelho rasgado, assim como os sentimentos (também vermelhos), no canto do armário?

só um momento:
vou buscar um botão.

Suhelen disse...

"pegue o vestido estampado, guarde pro carnaval, guarde que eu nnunca te quis mal, até o feriado, quarta feira de cinzas e tá tudo acabado..."

=)